domingo, 21 de setembro de 2014

Faça o que te Causa Alegria

Hoje o tema é o aumento de potência de vida, por causa de uma atividade que causa alegria.
Imagine um trabalho que não causa alegria numa pessoa.  Segundo o pensador Espinosa, o que causa alegria numa pessoa, aumenta a potência do ser da mesma.  E qualquer causa que entristece uma pessoa, diminuiu a potência do ser da mesma. Acrescentando que aumento ou não da potência do ser é válido para qualquer atividade da vida.
Segundo o pensador Aristóteles, quando a pessoa faz o que causa alegria, então a pessoa ama o que faz. E quando uma pessoa se alegra e ama o que faz, qualquer intempérie na atividade que faz, será vencida. Porque a potência de ser aumenta com que faz. Isso é válido no trabalho.
Uma pessoa que se alegra e ama o trabalho, dá o melhor de si. Essa pessoa quer que outras pessoas colham bons resultados do seu trabalho.  Sendo que esta pessoa aumenta sua potência do ser no decorrer do trabalho. Podem ocorrer fatos que diminuam a potência do ser no trabalho, mas não são mais fortes que alegria e amor causados pelo trabalho.
Para demonstrar que o trabalho deve causar alegria, vamos imaginar algumas situações em que o trabalho não causa alegria:
Um médico se entristece toda vez que vai clinicar, sua potência do ser cai. Os pacientes não são bem atendidos. O sonho deste médico era ser piloto de avião, mas devido influência familiar caiu na medicina.
Um programador se entristece quando vai programar e não suporta o trabalho em equipe, sua potência do ser cai.  Os colegas reclamam que o programador não é colaborativo em equipe e o trabalho dele não tem qualidade. Na verdade ele queria ser matemático.
Um professor se entristece toda vez que vai dar aula, sua potência do ser cai. Os alunos reclamam da falta de didática e má vontade do professor. Esse professor queria ser médico.
Conclui-se que, a escolha de uma atividade que causa alegria é vital para aumento da potência do ser de uma pessoa. Consequentemente, qualquer atividade que seja realizada por uma pessoa que se alegre com ela, será feita da melhor forma possível.
Fonte:

Vídeos:

Ética Espinosana - professor Clóvis de Barros Filho:

http://www.youtube.com/watch?v=SEOEdxQCfok

Cooper IHARA - Aula 06 – Amor - professor Clóvis de Barros Filho:

http://www.youtube.com/watch?v=XJa9wTEs7-s

terça-feira, 16 de setembro de 2014

A Cultura Maquiavel Bloqueia a Visão Fora da Caixa


Hoje vamos falar sobre o bloqueamento da visão fora da caixa pela cultura Maquiavel dentro das empresas.
Imagine a seguinte situação: Os funcionários de uma empresa são engessados e vivem o fantasma do medo. Os gestores não seguem a linha líder servidor e vivem socando metas nos seus funcionários. Os funcionários quando estão fora do ambiente de trabalho só falam dos seguintes assuntos: O novo prédio da empresa, a nova filial, a nova meta, o novo gestor, o colega que puxou o tapete do outro e etc.
O engessamento e medo são típicos da cultura Maquiavel, que bloqueiam a visão fora da caixa. Claro que metas são necessárias para todas as empresas. Porém novas idéias são vitais para inovação e mudança. O mecanismo que leva ao crescimento no mercado competitivo contemporâneo.
Os gestores que não incentivam novas idéias dos seus funcionários. Inibe a visão fora da caixa. Gestores esses que não seguem a linha líder servidor. Levando as empresas a buscarem a visão fora da caixa fora da empresa. Um custo desnecessário, pois poderiam incentivar seus funcionários a trazerem novas idéias. Isso eleva à auto-estima dos funcionários. E as empresas economizam no banco de idéias. Estimulando a cultura da pesquisa no mundo corporativo.
Existem empresas que tem banco de idéias por funcionários e economizam uma boa quantia por ano em soluções. E investem essa quantia em treinamento para seus funcionários. Um grande incentivo aos funcionários, pois eles fazem parte das novas idéias e soluções.

Em suma, a visão fora da caixa só traz benefícios às empresas. Propiciando a inovação e mudança, mecanismo que ajuda as empresas na competitividade no mundo corporativo. As empresas tem que se conscientizar que funcionários engessados e com medo não tem visão fora da caixa, e não ajudarão a inovar.